“Fria conclusão” – Poesia

 ” Carência em seus atos,

carência no que faz e fez,

o que mais dói,

carência em teu olhar”

 

” saber o que é ser sozinho,

saber o que é isso,

que te entrega em assustadores ruídos”

 

E cai a noite,

o que seria de dia,

ninguém vê, nem uma legitima corte,

o que de noite havia lá, ninguém sabia”

 

” Era choro,

gritos estridentes do mais diante morro,

porém de dia,

tudo era coberto por ações angelicais”

 

” E essa pessoa vivia ,

por que viver tem que ser normalmente,

como todos os sábios diziam:

“É isso, eu sabia!”

para que a sociedade veja, ações correntes”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s